fbpx

Operação mira madeireiras irregulares de Alto Paraíso, Buritis e Ariquemes

Operação mira madeireiras irregulares de Alto Paraíso, Buritis e Ariquemes

A justiça federal determinou o bloqueio de R$ 70 milhões.

Blog da Mara

A Polícia Federal, em ação conjunta com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama), prendeu duas pessoas em flagrante por porte ilegal de arma de fogo e munições e apreendeu quatro veículos nesta terça-feira, 27, na Operação Floresta S/A, desencadeada em três municípios de Rondônia: Alto Paraíso, Ariquemes  Buritis.

As atividades realizadas são parte do cumprimento de 16 mandados de busca e apreensão nestas regiões, com o objetivo de combater crimes amientais cometidos por madeireiras que atuam ilegalmente.  As pessoas investigadas podem responder pelos crimes de desmatamento em terras de domínio público, dificultar a fiscalização ambiental e falsidade ideológica.

Segundo a Polícia Federal, a 7ª Vara Criminal da Justiça Federal, que expediu os mandados, determinou o bloqueio de mais de R$ 70 milhões das contas e ativos financeiros das empresas envolvidas – são ações, títulos do tesouro e cédulas de crédito e pessoas físicas e jurídicas.

Tudo começou em agosto do ano passado, após uma fiscalização da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam) e Polícia Ambiental. Ela encontrou encontrou irregularidades entre o que informava o sistema DOF (Documento de Origem Florestal) e a madeira encontrada nos pátios das empresas.

O superintendente da PF em Rondônia, Agostinho Gomes Cascardo, disse que as madeireiras utilizavam créditos virtuais do sistema DOF para esquentamento da madeira que estava em seus pátios.  Muitas eram oriundas da Floresta Nacional do Jamari e da Floresta Nacional do Bom Futuro, extraídas de forma criminosa, pois as áreas são unidades de conservação federais.

A PF concluiu que as empresas utilizavam o sistema para mascarar a origem ilícita da madeira que havia sido extraída de áreas de proteção ambiental. Toras de castanheira foram encontradas nos pátios das madeireiras. É proibida a extração e comercialização da castanheira.

Foram encontrados nos pátios das madeireiras toras de árvores da espécie castanheira, que tem a extração e comercialização proibida desde 1994.

“Eles obtinham essa madeira das florestas nacionais e colocavam no pátio da madeireira. Se viesse essa fiscalização ambiental, seria detectado que essa madeira não tinha origem lícita. Existe uma forma de esquentamento dessa madeira criminosa que é comprando créditos DOF de locais onde não houve extração nenhuma, então simula-se que foi comprado de um local onde não teve extração nenhuma, e isso é usado para esquentar a madeira”, disse o superintendente.

Deixe um comentário

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print