fbpx

Porto Velho recebe vacinas da Pfizer; pessoas com comorbidades serão vacinadas

Porto Velho recebe vacinas da Pfizer; pessoas com comorbidades serão vacinadas

A Prefeitura de Porto Velho recebeu, nesta segunda-feira (3), lotes da vacina da Pfizer, com o total de  3.510 doses, que serão utilizadas no atendimento a pessoas com comorbidades (doenças pré-existentes), conforme a previsto na terceira fase do Plano Nacional de Imunização (PNI). A vacinação vai ocorrer nos dias 7 e 8 de maio (sexta e sábado), na Faculdade Uniron – Campus I.

Pelas condições de armazenamento da vacina da Pfizer serem diferentes das vacinas Coronavac e Astrazeneca, o Ministério da Saúde (MS) enviará um refrigerador específico para o acondicionamento do imunizante.

Como vem fazendo desde o início da vacinação contra a Covid-19, a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) vai seguir a determinação do MS para aplicação do imunizante. Conforme Nota Técnica 467/2021, publicada no último dia 26 de abril, a estratégia de vacinação dos grupos de pessoas com comorbidades será dividida em duas etapas, sendo a fase I contemplada neste momento.

Público

Neste primeiro momento, apenas o grupo que integra a Fase I da Nota Técnica 467/2021 do Ministério da Saúde será imunizado. No entanto, a Divisão de Imunização da Semusa ressalta que os outros públicos serão atendidos conforme o recebimento de novas remessas de vacinas. Os critérios de priorização da Fase I são os seguintes:

  • Pessoas com Síndrome de Down acima de 18 anos;
  • Pessoas com doença renal crônica em terapia de substituição renal (diálise);
  • Gestantes e puérperas com comorbidades, acima de 18 anos;
  • Pessoas com Deficiência Permanente, cadastradas no Programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC) de 55 a 59 anos.

Pessoas com comorbidades de 55 a 59 anos também serão imunizadas com a vacina da AstraZeneca. A mudança de laboratório é necessária porque o total de vacinas da Pfizer recebidas neste momento não é suficiente para todo o grupo.

Ainda segundo a Nota Técnica 467/2021, a comprovação da comorbidade deverá ser realizada conforme recomendações do PNI, ou seja, no ato da vacinação a pessoa deverá comprovar a doença pré-existente através de exames, receitas, relatório médico, prescrição médica, laudo, cartão do BPC, cartão do hiperdia, entre outros.

Leia mais aqui.

Deixe um comentário

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print